Minhas três Princesas

Lilypie Kids Birthday tickersLilypie Second Birthday tickers

Pesquisar este blog

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Flora e o Espelho



Embora saia sempre com Helena, nunca saí sozinha com a Flora. 

Bom, hoje resolvi levá-la comigo ao Pilates, à livraria e à papelaria. Voltinhas que eu tinha que dar. Ela nunca tinha se separado da Iris e, embora tenha se divertido, ao ver o espelho do estúdio de Pilates, sismou que a irmã tinha vindo brincar com ela. Chamava para brincar e tudo. Olha isso!


domingo, 25 de novembro de 2012

Carta Aberta à Minha Obstetra - Violência Obstétrica

Boa Noite, Dra.

Eu, depois de de quatro anos e meio do primeiro parto e dois anos e meio do segundo, resolvi finalmente colocar para fora coisas que vêm me incomodando há muito tempo. Eu carrego uma dor comigo. Uma dor que surgiu com a informação de que fui violentada. Fui violentada na minha vontade de parir. Fui engolida pelo sistema porque confiei em você.
_________________________________
Parto número 1
_________________________________
Recém-chegada em Cuiabá, engravidei e busquei indicações de médicas obstetras. Uma amiga me deu seu nome e logo adorei você. Você era segura e direta, como eu gosto dos meus médicos. Uma simpatia. Nem procurei outra. Olhava nos seus olhos e tinha certeza de que estava em boas mãos.

Na primeira consulta do pré-natal de Helena (eu me lembro como se fosse hoje), eu declarei meu desejo: Quero ter parto normal, você faz?
-Claro, se estiver tudo bem, não há problemas. Só tem uma coisa... eu só faço sem anestesia.
Aquilo me deu uma baqueada, mas eu pensei rápido e resolvi: pela minha filha, vale à pena.
-Tudo bem!

Tudo ia bem e, no quinto mês, você falou que achava difícil eu ter o bebê por parto normal, mas disse que esperaríamos.

No último ultrassom, você me pediu para fazer com o médico seu amigo que logo me apavorou! O bebê é enorme para você!!!!! Você vai sofrer muito nesse parto!!!  Até aqui eu estava firme. Mas aí, veio o golpe de misericórdia: o bebê vai sofrer muito!

Meu mundo caiu... meu bebezinho ia sofrer por causa da minha escolha. Eu essa mãe malvada que queria parto normal. Depois voltei ao seu consultório, precisando de apoio e de sua opinião, afinal, você era meu porto seguro, a pessoa que eu mais confiava naquele momento. E, sem piscar, você disse: então vamos marcar para 39 semanas.

Embora tenha chorado nos braços do meu marido naquela noite (você sabia, doutora?) pela dor de não poder participar ativamente do nascimento de minha filha, confiei... "a Dra. falou que precisa para que meu bebê fique bem".

A cesárea foi agendada e lá fui eu para o hospital com o coração na mão. Na hora do parto, descemos para o centro cirúrgico e só lá na porta, disseram ao meu marido que ele tinha que trocar de roupa. Enquanto ele foi para o vestiário, um monte de gente, sem nem me dar boa tarde, me carregou para a sala cirúrgica e me deu anestesia (reclamando que eu tinha inchado muito e estava difícil de pegar), me deitou, amarrou meus braços e minha perna. Todos conversavam alegremente. Acho que ninguém percebeu que eu estava quase em pânico. Aí veio a náusea... um enjoo insuportável. Eu perguntava onde estava meu marido e o anestesista me falou que ele só poderia entrar depois.

Você estava super calma, mas você faz isso todos os dias, né? Eu nunca tinha feito uma cirurgia.

Quando reclamei das náuseas, o anestesista colocou um pano do lado da minha boca e disse: pode vomitar! Como? De barriga pra cima e amarrada? É... "vira a cabeça e vomita". Vem cá, vomita o que se estou a 15 horas sem comer e há umas 8 sem beber água?

Nessa hora, meu marido entrou, esbaforido e pegou na minha mão, perguntando porque eu estava tão branca. Na hora as náuseas melhoraram. Ai, o anestesista: papai, corre que o bebê está nascendo.

E Helena nasceu depois de um puxão. O pediatra me trouxe ela para que eu olhasse, batemos uma foto e, enquanto eu ainda chorava de emoção, todo mundo, exceto o anestesista, saiu da sala. TODO MUNDO!!!!! Minha filha, marido, médicos... Eu nem pude tocar nela (lembra que eu estava amarrada?).

Vendo minha angústia ele perguntou:
-O que foi?
-Eu quero ver minha filha (murmurei)
-Nessa hora é assim mesmo, só fico eu. Daqui a pouco eles voltam.

Devo fazer um aposto aqui. Embora eu não lembre seu nome (acho que, na verdade, nunca fomos apresentados), esse anestesista foi quem melhor me tratou durante todo o parto. Ele até me perguntou se eu queria ou não sedação após o parto (mais pra frente eu explico essa gratidão). Ele foi realmente muito simpático e educado o tempo todo e ficou comigo até o final.

Eu não sei quanto tempo foi. Acredito que pouco, mas para mim pareceram anos. E volta a Helena, escovada, lavada, embrulhada. No outro dia, fui ver nas filmagens e fotos que ela teve tubos enfiados na boca e nariz, tomou banho e que depois dela vestida, tirou fotos com você, com as enfermeiras e com a avó enquanto eu estava desesperada para sentir seu cheirinho, tocar sua pele.

Depois eu lembro que você deu tchau e só fui te ver mais de 24 horas depois!!!!

Pelo menos, me deixaram amamentá-la e a enfermeira me ajudou muito nisso.

Daí para a frente tudo correu bem.


_________________________________
Parto número 2
_________________________________

Foi então que, resolvemos engravidar de novo. Helena tinha 18 meses. E conseguimos de primeira!!!! Foi uma felicidade só.

Voltei lá no seu consultório. Afinal, eu confiava muito em você. Até indicava para todo mundo que eu conhecia.

Aí, quando elas estavam com 28 semanas, eu entrei em trabalho de parto. Fique internada no São Judas Tadeu, que não tem UTI neo-natal. Eu estava no quarto com duas amigas e, quando você entrou eu falei:

-Doutora, eu estou com muitas dores (leia-se: estou em trabalho de parto!!!!!!! E apavorada que as minhas filhas nasçam tão cedo)
-Ué, você não queria ter um parto normal? É assim!

Puxa vida, doutora... eu não tinha medo da dor. Tinha medo da morte das minhas filhas que ainda tinham menos de 1kg cada e que nasceriam em um hospital sem a estrutura necessária. Era hora de brincadeira ou de apoio?

Passou e depois de vários TP prematuros segurados com muita inibina, (e tenho que falar que você me atendeu 100% das vezes que liguei, o que já é coisa rara em médico hoje em dia), eu estava morta. Em uma cama, sem poder me mexer pelo peso, cansada e sonhando em poder caminhar um dia. Minha exaustão emocional era visível e eu chorava constantemente. Mais uma vez, tenho que ser justa e dizer que você parecia ser a única pessoa que me entendia. Eu sentia como se você fosse minha confidente. Eu amava você doutora. Seu rosto me trazia tranquilidade.

Quando com 34 semanas eu, sem absolutamente nenhum problema de saúde, dei entrada no hospital, já com dilatação, você nem cogitou PN! Chamou anestesista, pediatra e, uma hora depois minhas filhas tinham nascido e todos iam para casa.

Desta vez eu estava mais calma. Meu marido ficou ali desde o começo, eu já conhecia o procedimento. Mas aí a coisa ficou preta. Minhas princesas nasceram e eu, mais uma vez, não pude segurá-las. E minha dor seria maior ainda. Porque a anestesista desta vez, não foi tão gentil. Ela me sedou e nem me avisou. Era de madrugada e vocês todos foram embora.

Você sabia, doutora, que eu fiquei não sei quantas horas num corredor escuro só ouvindo o barulho dos instrumentos cirúrgicos sendo guardados pelas duas moças que estavam trabalhando lá? Você sabia que eu fiquei não sei quantas horas acordadas, brigando com a medicação e tentando mexer minhas pernas para poder ir ter notícia das minhas filhas? As moças diziam:
-Dorme mãezinha, descansa.
-Nunca vi uma mãe brigar tanto com a sedação.

-QUE SEDAÇÃO!!!! EU NÃO QUERO DORMIR!
Eu queria gritar mas a boca não abria de tão mole que eu estava. Só conseguia abrir os olhos e escutar as moças.

Depois, no quarto, eu queria ir na UTI ver meus bebês. Mas você só apareceu no final da tarde e ninguém tirou minha sonda nem deixou eu levantar. Eu perdi dois horários de visita. Portanto, minhas filhas nasceram às 23:30 do dia 15/07 e eu só pude vê-las às 20:00 do dia 16/07. Você viu o quanto eu chorei?

Você sabe o quanto ainda choro? Eu não choro porque fiz duas cesáreas, doutora. Eu choro porque com as meninas ainda na UTI eu conheci uma mãe de 1,50 m que teve um bebê de 5 kg e estava andando por lá. Nesse dia eu soube que a Helena tem 3,850 kg, não era motivo suficiente para uma cesárea.

Eu choro porque descobri que hoje em dia uma cesárea anterior não é impedimento para um parto normal e você não me falou. Você não me perguntou o que eu queria.

E você pode achar besteira. Afinal, que diferença faz, se os bebês nasceram e estão todos bem? Eu choro porque o corpo é meu e você mentiu para mim, para fazer dele o que você queria.

Eu choro, doutora, porque eu te amei, e você me traiu! Eu estou chorando de novo... e você?

Hoje é dia da luta contra a violência à mulher. Então eu resolvi que preciso colocar isso para fora. Dizem que a cura do trauma começa quando a gente fala sobre isso. Então resolvi falar. Eu não quero que outras mulheres passem por isso.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Versão musical do papai

Hoje no banho:

 sabão crá crá
sabão crá crá
Não deixa o cabelo da gente enrolar 

sabão cré cré
sabão cré cré
Não deixa o cabelo da gente de pé

 sabão cri cri
sabão cri cri
Não deixa o cabelo da gente cair

 sabão cró cró
sabão cró cró
Não deixa o cabelo da gente dar nó

 sabão crú crú
sabão crú crú
Não deixa o cabelo da genteeeeeeeeee misturar com xampú

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Vamos tirar o pó?

Olá! Ando trabalhando bastante e, portanto, ando sem muito tempo de passar por aqui. Mas, hoje depois de uma semana de calor escaldante, o dia amanheceu gostoso, nublado e com uma brisa para melhorar. Então, pegamos a molecada e partimos para o Parque.

Na última hora resolvi levar a máquina e, valeu a pena. Além de imagens bonitas com as meninas, nos vimos com um bando de visitantes muito animado! Na verdade, acho que nós é que éramos os visitantes, né?
November 2, 2012 Massairo Nakamura

Legal, né?

Beijos

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Vovó virou estrelinha

Nesta sexta-feira, a vovó Elenita desencarnou. A notícia pegou a todos de surpresa até porque o desencarne foi muito repentino. O papai Marlon resolveu viajar para ajudar ao pai e irmãos nesse momento e ficou muito triste, embora tranquilo, com a mente serena. Sábado de manhã, assim que ele foi viajar, Helena me perguntou o que estava acontecendo, por que ele tinha viajado.

Coloquei as gêmeas no quarto para ficar só com ela, coloquei-a no colo e disse:
-Amor, o papai foi ficar com o vovô Décio, o tio Marcelo e o tio Marcone porque a vovó Elenita, virou uma estrelinha.

O olhar dela, fixo no meu e perguntou porque. Expliquei assim:
-Amor, é que todos nós moramos no céu. Aí, a gente resolve vir para a terra para aprender algumas coisas. Mas, do mesmo jeito que a mamãe às vezes tem que mandar você parar de brincar para fazer outra coisa, Papai do céu uma hora fala para a gente que acabou a hora de brincar na terra e que é hora de voltar para perto dele. E a hora da vovó chegou.

Minha pequena se aninhou no meu colo e chorou com as mãos no rostinho, um choro mansinho, de cortar o coração.


Mas, como são as crianças, logo se acalmou.  De vez em quando me pergunta tudo de novo. E eu explico tudo de novo e ela volta a brincar.



Anteontem ela acalmou pois lembrou que eu tinha explicado que a gatinha dela que morreu tinha virado estrelinha também e disse:
-Mamãe, a minha gatinha está lá com a vovó. E elas estão brincado!!!!


domingo, 9 de setembro de 2012

Primeiros dias de desfralde duplo

Bom gente

Há cerca de dez dias, iniciei com a molecada o desfralde. Não que eu estivesse preparada psicologicamente mas, Flora resolveu que não fica mais de fralda se ela não estiver impecável. Então, ao sinal do menor xixi, ela tira a fralda e fica peladona. Tentei colocar shorts nela ou leggins mas, a danada logo aprendeu a tirar a roupa e lá vinha ela correndo peladona dizendo: "tirô fafalda".

Como Flora vai para o desfralde, Iris vai na onda - hehehehe. Afinal, encarar dois desfraldes consecutivos é demais para a mamãe.

Nesses primeiros dias, deixei as duas sem roupa, só com a calcinha. E tô lavando mais calcinha que lavadeira de bordel mas, algumas vitórias foram alcançadas.

Elas adoram o penico. Passam o tempo todo me dizendo: "xixi, xixi"
E eu:
-Pode ir fazer xixi
Então, abaixam as calcinhas no meio da sala e saem correndo para o penico com elas nos tornozelos. Sentam no penico e logo dizem:
-Ponto...
E levantam de novo, sem ter feito nada.

Flora já pede para fazer cocô no penico, embora frequentemente levante dele antes de terminar porque fica angustiada. Também já estão segurando o xixi mais tempo. Têm "vazado" só umas duas vezes por turno (mahã/tarde).

Vamos ver como vamos essa semana.

sábado, 25 de agosto de 2012

Filha nudista

Esta segunda começamos uma nova etapa aqui em casa. Ocorre que, na escolinha das meninas aqui em Cuiabá, eles deixam as meninas de calcinha por causa do calor. Pois agora, Madame Flora, não quer mais ficar de fraldas. A cada xixi ela pede para trocar de fralda, chora quando faz cocô e vira e mexe a nanica tá peladona pela casa falando: tio fafalda (tirou a fralda). Já apelidamos ela de nudista e temos que colocar shortinhos nela o tempo todo para evitar que tire a fralda.

Resolvi então que está na hora de desfraldar as gêmeas. Hoje já peguei os peniquinhos que eram da Helena, lavei e segunda-feira, começamos a missão desfralde. Só imagino a quantidade de xixi que vou ter que limpar no chão com dois desfraldes simultâneos....

Mas, já fiz as contas e vou economizar quase 500,00 por mês em fraldas. Vale a pena, né?

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Surpresinha gostosa

Todas as noites nós trocamos as fraldas das meninas antes de irmos dormir. Fazemos isso porque as fraldas já não aguentam mais a noite inteira. Além disso, precisamos levar Helena ao banheiro.

Pois hoje à noite quando entrei no quarto para trocá-las tomei um susto. Iris e Flora Não estavam em seus berços. Quando resolvi acender a luz me deparei com essa linda cena.

Não é pra derreter?


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Dois anos e Primeiro Bolo

Oi gente

Como minha vida anda uma correria só, lá vou eu fazer o registro do aniversário das minhas filhas com quase uma semana de atraso.

Não planejamos nada porque não teríamos tempo de preparar a festinha mas, no dia, o primo do Marlon, Fernando e a esposa dele, Tatiane, nos chamaram para almoçar na casa deles. 

No fim da manhã, resolvemos levar as nanicas ao Teatro para Piás e Gurias, no Largo da Ordem. A peça chamava-se Sobrevoar, da Cia do Abração. Elas amaram! A peça é de uma beleza e delicadez encantadoras.



Helena foi correndo sozinha para abraçar os atores. E eu corri atrás para tirar fotinhos, né?



Depois fomos para a casa dos primos e levamos um bolinho. Chegando lá, a tia Tati tinha feito outro. Como eu tinha levado duas velinhas, foi perfeito.





E aos dois anos a gente teve permissão para comer bolo. Será que gostamos?



Mas, depois do docinho, um suquinho vai bem...


Parabéns minhas filhotas!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Diário de Férias da Helena #7

Oi gente

Hoje Helena gravou o filminho contando o que aconteceu ontem. Ela foi na Colônia de Férias do Atelier Pégasus e se divertiu muito! As pequenas ficaram com o papai e a mamãe.
Depois, fomos tomar a vacina da H1N1 que está em falta até na rede pública. Mas, ontem, pelo Facebook, descobri uma clínica que tinha e fomos mais do que rápido. As gêmeas e o Marlon já tinham sido vacinados e faltávamos eu e Helena. Ela foi super valente. Só reclamou um pouco.

Hoje não tem fotinho mas, tem a princesa muito falante.

domingo, 8 de julho de 2012

Diário de Férias da Helena #6 - A primeira compra com ajuda da Gumercinda

Bom dia!

Hoje gravamos o filminho da Helena contando as atividades de ontem e vou logo avisando que vou furar minhas próprias regras e postar mais de uma foto. É que Helena vinha juntando moedinhas.

Há tempos compramos uma porquinha para a Helena, à qual chamamos carinhosamente de Gumercinda. Helena juntou muitas moedinhas e como andava pedindo alguns brinquedos, resolvemos abrir a Gumercinda e ver quanto dinheiro tínhamos.

A soma deu R$33,50 e partimos para o supermercado. Lá Helena foi categórica: queria um quebra-cabeças de princesas. Procuramos e achamos alguns. Então Helena escolheu o que ela mais gostou, que foi um com as 5 princesas (ele conta quais são no vídeo).

Tumultuado foi contar 22, 85 em moedinhas na boca do caixa mas, a atendente era muito simpática e paciente. Curtiu com a gente esse momento especial. Agora, vamos guardar as moedinhas que sobraram e começar a juntar de novo para comprar mais coisas.

Vamos às fotinhos?

Esvaziando a Gumercinda

Colocando as moedinhas em um saquinho

Pagando

Orgulhosa com as compras

Felicidade ao completar SOZINHA o quebra-cabeças
E a fofurinha contando a sua versão.



sexta-feira, 6 de julho de 2012

Diário de Férias da Helena #5

Oi gente

Ontem não deu tempo de passar por aqui. É que Helena chegou do passeio acabada e dormiu no carro. Mas, hoje nós já gravamos o videozinho e ela contou o que fez.

Ontem fomos ao supermercado só as duas porque o papai saiu de carro e acidentalmente levou o carrinho das gêmeas junto. Ir pela rua com as três a tira-colo pela rua, tendo travessias para fazer não dá!

Compramos o que precisávamos, voltamos e descemos ao playground do prédio para gastar um pouco de energia. À tarde, saímos para o Shopping Mueller onde estão acontecendo oficinas de arte para a criançada. A de ontem era um chapéu de feltro. Achei a maioria dos monitores muito desanimadinha mas, Helena fez o chapéu dela e adorou. Diz que é uma coroa!

Ah... esqueci! Anteontem levei ela a um laboratório para vacinar contra a H1N1. Aliás, eu também precisava vacinar. Mas, as doses tinham acabado. Estou procurando em outros lugares mas até agora não encontrei.

Depois, levei as pequenas ao cabelereiro pois Helena precisava de um corte. O resultado dá para ver aí embaixo. A fotinho do dia é a Helena fazendo charme na oficina de arte:

E aí vai o vlog de hoje


terça-feira, 3 de julho de 2012

Diário de Férias da Helena #4 - Bosque do Papa

Boa Noite Pessoal

Bom, hoje o passeio de férias começou pelo Bosque do Papa, que é uma delícia para levar as crianças. Elas correram, brincaram de gangorra, de escorregador, trepa-trepa. Fizeram amiguinhos e çlancharam sanduíches que eu levei de pão integral, cream cheese, queijo prato e blanquet de peru. LLevei também um suco de maçã natural que foi todinho.

Quando começaram a reclamar de tudo e de todos, percebi que o cansaço era grande. Coloquei as gêmeas no carrinho e demos uma volta pelo bosque. Depois voltamos para casa, elas almoçaram e foram descansar.

À tarde, o Marlon tinha um chá de fraldas de duas funcionárias e levou Helena junto. Quando voltaram, ficaram brincando por aqui e depois assistimos ao resto da Mary Poppins que Helena tinha perdido ontem porque dormiu.

A fotinho escolhida de hoje é uma na qual consegui pegar as três.

E lá vai a minha pequena contando o dia dela. Ela está adorando essa brincadeira.


Beijos

Diário de Férias da Helena #3

Boa Noite

Hoje foi por aqui o terceiro dia de férias da molecada e o primeiro que fiquei sozinha com elas. Mas foi muito divertido. Logo de manhã arrumei todo mundo e fui para o parquinho do prédio munida de papel pardo, giz de cera e bolinhas de sabão.

Lá, aproveitamos o dia que estava LINDO! As pequenas brincaram para caramba! Depois, fomos para casa, pegamos uma sacola ecológica e o carrinho das gêmeas e fomos ao supermercado passeando. Chamamos muita atenção do pessoal que estava por lá. Escolhemos frutas e verduras e voltamos. Na loja de produtos naturais compramos sucos (naturai - dãããã) e biscoitinhos integrais.

Voltamos e depois do almoço todas fomos descansar um pouco.

De tarde, foi hora de cineminha. O filme escolhido foi Mary Poppins! Helena ADOROU!

É gostoso ver a molecada curtindo o que a gente curtia, né? Aliás, curtindo o que a minha mãe curtia - kkkkkk.

A foto de hoje é das três pequenas comendo pipoca e assistindo ao filminho.


E aí vai o vlog da Helena


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Diário de Férias da Helena #2

Oi gente

Hoje é o segundo dia de blogagem da Helena. Ontem não tive tempo de postar mas filmei a pequena contando o que tínhamos feito.

Depois de dar um jeito na casa, resolvi comemorar o meu aniversário que foi na quinta e tinha passado em branco na correria. Então, fomos almoçar na Pizza Hut do Shopping Barigüi. Lá as pequenas se esbaldaram com pizza e batatas sorriso. Helena se vira perfeitamente sozinha. Iris, sentada ao meu lado, parecia uma lady. Comia com garfo e quando não conseguia, dizia "aiúda" (ajuda) e eu ajudava. Agora, a Flora, parecia uma troglodita - kkkkk. Essa não passa aperto! Com fome, ela mete mesmo a mão na comida porque o importante é colocar comida para dentro.

Depois, fomos ao Parque Barigüi passear um pouco e brincar com os cachorros dos outros - hehe. Até que as pequenas resolveram pedir colo e vimos que o cansaço tinha batido. Voltamos para casa, sob os protestos da Helena, onde elas viram filminhos até a hora de tomar banho e dormir.

Vou escolher uma foto que eu ADOREI para o dia de hoje.

E aí vai a blogagem da Helena



domingo, 1 de julho de 2012

Diário de Férias da Helena #1

Oi gente

Hoje é o dia do primeiro post de férias da Helena. Na verdade, ele é sobre ontem mas, ontem não deu tempo.

Ontem teve a festinha junina da escola dela. Como já sabe, não é a festinha tradicional, uma vez que a metodologia é Waldorf. Nessas escolas, sempre na época da festa junina é feita a comemoração da Menina da Lanterna. É feita uma dramatização dessa história de uma menina que tem a luz de sua lanterna apagada pelo vento e faz uma jornada em busca de alguém que possa reacender sua luz. Sem ajuda, ela segue até o sol, onde consegue o que procura. Depois ela volta e ajuda todos que precisam de luz. Ufa! Versão super resumida - kkkkkkkk.
As roupinhas foram improvisadas porque fui comprar na última hora e a loja tava cobrando R$100,00 um vestido caipira!!!! Quase caí para trás!!! Imaginem comprar 3 e no ano que vem não serve mais. E a criatura ainda teve a cara de pau de dizer que depois eu poderia vender para uma loja de aluguel de fantasias... tá bom!

Voltei para casa e já estava morta. Desisti de sair atrás de outro e peguei umas saias de babado da Helena, com camisetinhas e botinhas, pintei as bochechas, fiz trancinhas na Helena e marias-chiquinhas nas gêmeas, enfeitei com fitas de cetim coloridas e pronto! Três caipiroskas faceiras!

O lanche é comunitário e a dança orientada mas não tão ensaiada. A molecada fica doidinha.

Como a proposta é colocar uma só foto de cada dia, estou passando um sufoco mas, lá vai:
Minhas duas caipirosquinhas dançando na frente da fogueira.



E agora, o vlog da Helena contando o que ela fez e o que mais gostou.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Novo "Quadro" - Diário de Férias

Oi gente

Hoje estive pensando em relatar as férias das pequenas e qual seria a melhor forma de fazer isso. Por fim, tive uma ideia. Espero que funcione mas, se não funcionar eu parto para o tradicional mesmo.

O Diário de Férias 2012 terá a cara da Helena. Vai funcionar como um fotolog, misturado com videoblog - hehehehe. Quero ver se todos os dias batemos uma foto da atividade escolhida e quer ver se ela conta para o blog como foi o dia dela.

Será que vai dar certo?

Estou tão confiante que já criei o selinho das postagens. Olha ele aí:


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Aniversário da Helena (Rapunzel) - Registro super atrasado

Antes tarde do que nunca, certo?
Pois então estou passando para contar da festinha da minha pequena Helena que completou 4 aninhos no dia 06 de junho. A festinha foi no dia 7 e contou com amigas desvirtualizadas, familiares e a Milena, minha amiga dos tempos de Brasília que, num impulso, comprou as passagens e veio nos ver no feriado.

Foi tudo muito corrido pois eu estava me recuperando de uma crise nervosa e a verba era curta. Então, comprei o que precisava e fiz um exercício de controlar o pânico pela falta de tempo fazendo uma coisa de cada vez. No final, deu tempo de fazer quase tudo que eu queria.

A decoração foi da Rapunzel e resolvi fazer uma peruca da princesa para minha princesa. Essa parte foi complexa mas, no Pinterest eu achei (com ajuda da Lu Ivanike) um link de uma moça que fez uma peruca para a filha e pus as mãos à obra. O marido ajudou, e a peruca ficou pronta. Helena ficou sisintindo - rsrs.

Também fiz com cartolina, lanternas da Rapunzel, nas quais recortei um sol (símbolo da família real do filme) com estilete de um lado e colei uma Rapunzel de EVA do outro. No centro de cada uma usei um pote de papinha com uma vela dentro, que acendi na hora da festa.

Todas as meninas que chegavam ganhavam uma coroa e se transformavam em princesas e os meninos, uma capa azul de príncipe.

Entre as colunas, passei tiras de TNT amarelo para simular o cabelo da Rapunzel pendurado por todos os lados.

Bom, ficamos até as 22:00 da noite anterior eu e o Marlon montando tudo. No dia da festa a parentada ajudou a encher os balões.

Foi bem gostoso e a Helena AMOU!

terça-feira, 26 de junho de 2012

Hora do banho das Gêmeas

Faz um bom tempo que andava querendo filmar a hora das pequenas tomarem banho. É fofo demais elas se preparando todas animadinhas...

video

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Troca-troca sim, escovas de dentes, não

Lembra como há alguns posts atrás eu falei que as gêmeas tinham cada uma suas roupas, sapatos e que nada as fazia trocar? Parece que elas leram e mudaram de ideia.

Desde então está um troca-troca danado por aqui. Flora tem muita opinião e agora não aceita mais nada dela mesma. Quer tudo da Iris. Iris que não é boba, tá adorando a brincadeira. Começaram pelos sapatos. Flora não aceitava mais o próprio tênis e Iris colocava mas quando a gente olhava, já tinha tirado. Por fim, nos rendemos e trocamos os sapatinhos.

Então começaram os copos. Iris sempre teve os copos amarelos e Flora os vermelhos. Pois agora, trocaram. Depois vieram as roupas. Agora separo duas roupas e pergunto a elas qual querem. Então elas escolhem... uma zona!

A última foram as camas. Ontem fui colocar Flora para dormir de tarde e ela apontou para o berço da Iris dizendo: mimi, oto (dormir, outro). Peguei Iris e perguntei se estava tudo bem. Ela aceitou. Estão de camas trocadas.

A única coisa que não aceitamos foram as escovas de dentes. Mas elas pedem e esperneiam todos os dias...

quinta-feira, 24 de maio de 2012

More or less attachment parenting



Oi gente

Eu sempre reluto muito em entrar nessas discussões sobre as formas de criar os filhos por causa da polêmica. Na verdade, isso é tipo religião, futebol e política. Pouca gente está aberta a refletir sobre os argumentos contrários ao suas convicções. Mas, agora que a discussão já esfriou um pouco e EU já refleti sobre o assunto, vim militar a favor do "more or less" attachment parenting.

Aqui em casa foi assim, eu tentei ter parto natural e não consegui. Os motivos alegados eram muitos mas hoje fico pensando se não me convenceram do que era mais "prático". Como águas passadas não movem moinhos, parti para a criação da filhotada.

Comecei pela amamentação. Sim! Apesar das críticas que ouvi em TODOS os lugares, minhas 3 filhas ficaram até os 6 meses só no peito. Muita gente me disse que elas não ganhavam peso suficiente, que iam desidratar, que iam enjoar de leite, que não iam comer mais nada depois. Mas, eu que quase não sou teimosa, firmei o pé e andava com o peito para fora por aí.

Mas, com Helena, conforme ela cresceu e percebi que ela tinha fome de 4 em 4 horas, eu amamentava com hora marcada. Sempre prestei atenção nos picos de crescimento, durante os quais passava quase o dia todo amamentando. Com Iris e Flora, foi mais imperativo ainda. Eu passava 9 horas por dia amamentando e comecei a sofrer as consequências da privação de sono e ficar doente. Então, ou entrava na mamadeira, ou organizava a bagaça. Então, cronometrei de quanto em quanto tempo elas pediam para mamar e aos poucos fui colocando horário nelas também. Com isso, preservei minha saúde e a delas pois pude continuar amamentando.

No mais, esse negócio de dois lados, não me serve. De um lado, mães que vivem exclusivamente em função de seus filhos, muitas vezes, criando filhos super dependentes. De outro, mães que largam seus filhos o dia todo na escola e quando chegam em casa ligam a televisão, a babá eletrônica, em prol da independência.

Aqui é assim. As crianças têm suas necessidades orgânicas atendidas antes que elas se tornem imperativas. Ou seja, antes que a criança surte de fome e dê chiliques, eu já dou a refeição balanceada direitinho. Antes das crianças surtarem de sono, eu faço dormir para manter a capacidade de aprendizado e convivência.

As necessidades afetivas são assim: se caíam ou choravam, eu acalmava (e acalmo) com colinho, carinho, musiquinha. Nunca achei boa ideia dar o peito ou suquinho ou mamadeira nessa hora para não associar a sensação de conforto com comida. Mas, fico com elas e amasso bastante  faço muito carinho. Até que elas decidam sair do colo. Quando se sentem inseguras, com medo ou doentinhas, hoje em dia uso o sling. Elas ficam super tranquilas.

A independência, eu estimulo pela auto-estima. O importante para mim é que elas saibam que acredito em seu potencial. Quando estão no colo encolhidas, sempre falo "Quer ir, lá? Pode ir... se ficar com medo, volta que eu estou aqui." E assim elas se aventuram com a segurança de que sempre estarei aqui para ajudá-las. Quando algo que Helena faz dá errado, ao invés de concertar ou apaziguar, ajudo ela a se acalmar e refletir sobre o que deu errado. Assim, ela poderá aprender para não repetir o erro da próxima vez. Tudo que elas podem fazer sozinhas, fazem. Quando falo que as gêmeas, com 1 ano e 9 meses já pegavam a roupa suja e colocavam no cesto, tem gente que quase cai para trás. Mas assim, elas aprenderão a ajudar. Quando Helena ou as gêmeas choram porque não conseguem fazer algo, acalmo elas e fico do lado, mostrando como se faz e elogiando o progresso. Se eu simplesmente atendê-las, demorarão muito mais para aprender e poderão achar que não têm capacidade, né?

Cama compartilhada
Aqui em casa, algumas coisas sempre foram muito bem resolvidas. Minhas filhas NUNCA passaram uma noite na minha cama. Por que? Porque eu não funciono sem dormir direito e sempre MORRI de medo de rolar por cima das meninas. Isso fazia com que eu não dormisse se estivesse no mesmo quarto. Até hoje, quando viajamos e dormimos todos juntos, meu sono é horrível! Resultado, pouquíssima paciência no dia seguinte.Então, não... cama compartilhada não é para nós. Ensinei minhas filhas a dormirem sozinhas desde recém-nascidas, o que no caso da Helena (que originalmente dormia no colo) foi fruto de dois dias estressantes para mim e para ela. Mas esses dois dias trouxeram tanta harmonia para nossa casa que não me arrependo nem um pouco. Com as gêmeas eu já tinha aperfeiçoado a técnica e foi tudo muito tranquilo.

A vida do casal
A maioria dos leitores desse blog sabe que trabalho com consultoria para família (mas se não sabe, entra aqui: http://www.sosseguinho.com.br). E percebo que muitos casais passam por problemas por se anularem em função dos filhos. Claro que nos primeiros meses, a criança vai tomar todo seu tempo e é claro que você vai ter que abrir mão de muita coisa (se você acha que não, por favor, não tenha filhos ainda) mas, a mulher não precisa deixar de ser mulher para ser mãe, nem o pai deixar de ser homem.

Mas, na minha experiência, a cama compartilhada por muito tempo (mais de um ano) e a proibição de sair sem os filhos (mesmo que seja uma vez a cada 6 meses) faz com que o casal deixe de viver como casal. Muitos me chamam para suas casas já como última alternativa para salvar o casamento. Portanto, antes que isso aconteça, nós, beeeeeemmm de vez em quando, damos uma escapadinha se temos alguém de confiança para ficar com a molecadinha.

Conclusão:

Me baseei nesse texto aqui que traz o ponto a ponto do Attachment Parenting: http://www.ivillage.com/what-attachment-parenting/6-a-127876

E cheguei à conclusão de que existem vários graus de attachment parenting. O que eu não aplico à risca é:
Atender a qualquer choro da criança imediatamente: mesmo quando as crianças eram muito pequenas, nunca fui de correr a cada resmungo. Esperava um pouquinho e, se não parasse ou piorasse eu ia ver o que acontecia. Até hoje, sempre dou uma chance delas se acalmarem sozinhas. São um ou dois minutinhos. Se elas não conseguirem, vou dar uma olhada e acalmar.
Cama compartilhada: mas, pelo texto, isso não é pré-requisito. Então, está criada a nova maneira de cuidar da filhotada:

The More or Less
Attachment Parenting

Mais alguém se identifica?



quinta-feira, 17 de maio de 2012

Enrolada com a Rapunzel


Bom dia gente!!!!

Bom, estou definitivamente enroladíssima! Resolvemos fazer um bolinho de aniversário para a Helena e meia dúzia de amiguinhos aqui no prédio mesmo. Quando perguntei a ela o tema que ela escolhia, a resposta (super surpresa!) foi categórica: Rapunzel!

Não é de hoje que todo mundo já sabe que Helena deveria ter nascido princesa. Nunca vi tamanha fissura em vestidos, coroas, príncipes e etc.

Pois Enrolados foi o primeiro filme que ela viu no cinema e se apaixonou perdidamente pelos cabelos da Rapunzel.

Muito animadamente comecei a procurar algumas decorações que eu mesma possa fazer e a Lu já tinha me passado um link do Pinterest com o modo de fazer a peruca da Rapuzel.

O problema é a princesa. Ela já falou que quer vestido, cabela, lanterna, cavalo, príncipe, castelo, torre...

SOCORRO!!!! Tenho 20 dias e um orçamento apertado... tô toda enrolada - kkkkkkk

domingo, 13 de maio de 2012

Promessa às minhas filhas

Sei que hoje é dia das Mães mas, brotou assim, sem avisar, uma vontade enorme de prometer algumas coisas às minhas princesas. Então, montei rapidinho e chorei demais. Espero que gostem e que elas possam ver daqui a uns 10 anos.

Beijos

video

Obs. Helena aqui do meu lado: "mamãe, porque você está chorando?" "Porque eu amo você e suas irmãzinhas, filha"... Coitada.... ficou com cara de que não entendeu nada!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Ida par a escola

Oi gente

Hoje passei para contar sobre os passeios de ida e volta para a escola com as crianças. São momentos são deliciosos!

De manhã é uma correria. Tem toda uma logística. Eu tomo café e preparo os copos de leite delas. Depois, coloco todo mundo na minha cama para mamar enquanto separo as roupinhas delas. Quando terminam de mamar, eu troco a fralda e a roupa das gêmeas enquanto o Marlon (que está saindo do banho nessa hora) ajuda Helena no que ela precisar.

Depois, colocamos os sapatos e escovamos os dentes de todas as pequenas.


Todas prontas afinal, saímos. Eis a saída de casa. Mas não fiquem tontos, tá? O negócio está meio Bruxa de Blair porque não dá para pensar em estabilidade da câmera na hora que se está cuidando de três - hehehehe.

A saída tem direito a correrias no corredor (em silêncio pois são 7 da manhã) e sambinha no elevador.


video


No carro, mais bagunça! Ou é cantoria, ou gritaria. O certo é que tem folia! Nesse vídeo tem mais é o som. Afinal, não dá para filmar e dirigir com meus três tesouros dentro do carro, né? Mas, ficou muito engraçado!

video

E na volta, estão sempre cheias de sono. Para não deixá-las dormir no carro (o que acaba com a soneca da tarde), eu coloco cantigas de rodas e vamos cantando e dançando o tempo todo. Quando chegamos em casa, estão visivelmente agitadas pois o cansaço é grande.

video

Por fim, almoçam, e vão tirar um cochilo! UFA!

E pór aí? A manhã é corrida e animada assim?

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Ado, aado, cada um no seu quadrado!

Oi gente!!!!

Sabem como eu sempre vesti as gêmeas de forma diferente e procuro sempre respeitar as diferenças entre elas já que suas personalidades são opostas em muitos aspectos? Acho que está funcionando.

A minha preocupação é não colocá-las no mesmo saco, o que seria mais fácil. Enfim, elas começam a dar sinais de que entendem que cada uma tem as suas próprias roupinhas e querem usá-las.

Quando eu falo para irem pegar os sapatos, elas vão no armário e pegam o seu sapato certinho. O mesmo acontece com as boinas que comprei.

Esta semana a professora delas veio me contar que colocaram os sapatinhos nelas trocados na hora de brincar no jardim. Resultado? Iris sentou no chão, tirou o tênis e levou para entregar à professora que, por sua vez, imaginou que o problema era esse e, uma vez trocados os tênis, todas ficaram satisfeitas.

Fofurinhas, né?

Mulheres da casa, prontas para passear

As roupinhas escolhidas para o passeio

terça-feira, 17 de abril de 2012

Tarde de Artes com Helena

Oieee

Tá meio parado isso aqui, né? É que ando trabalhando muito e, embora tenha muitas ideias, tenho demorado um pouquinho para sentar e escrever.

Mas, quem me conhece, sabe que e sempre tento tirar um dia por semana (geralmente o sábado) para fica com Helena. E esse sábado o programa foi bem legal mesmo. Fomos convidadas pelas meninas do Ateliê Pegasus (http://atelierpegasus.wordpress.com/) para participar de uma oficina de fantasias.

No sábado, depois do almoço lá fomos nós. Como era láaaaaa na Água Verde, a Helena acabou dormindo. Mas, chegando lá, dei uma acordadinha nela e ela foi logo explicando que queria fazer uma fantasia da Lilica (Cocoricó). As meninas do Atelier são uma graça e o primeiro passo foi pesquisar a Lilica na internet e desenhar a fantasia.


Depois, a Helena descobriu as tesouras e ficou cortando um tempão.



Teve lanchinho saudável... com muitas frutas.


Teve pintura e a tia ensinou Helena a misturar as cores para fazer o roxo que ela queria.


Mamãe também entrou na dança





E com muita ajuda das tias,
Nossa Lilica ficou pronta com asa, rabinho, crista e lacinho.


Desde então, ela usa a fantasia o tempo todo que está em casa.....

quarta-feira, 28 de março de 2012

Como elas serão?



Domingo me peguei olhando uma mocinha. Não sabia nada sobre ela mas, quando ela passou por mim, sem perceber parei de andar e comecei a imaginar como seria o futuro.

Ela tinha uns 16 anos, estava usando calça jeans, camisetinha branca, os cabelos ao vento e tênis. Estava em cima de um skate, linda! Toda cuidadinha, sabe? Ela ia descendo uma ladeirinha, devagarzinho, deixando o skate andar sozinho. Nas mãos levava uma caixa de 1 litro de água de côco, que ela tomava de canudinho.

Eu achei tão maravilhoso que pensei: Eu adoraria ver uma das minhas filhas assim. Num domingo de manhã, no parque, andando de skate e tomando água de côco.

Alguém já passou por isso?






sexta-feira, 16 de março de 2012

A primeira viagem

Hoje estou com o coração apertadinho, apertadinho. Sei que os filhos devem crescer e que os criamos para o mundo.

Mas, saber é uma coisa, fazer com facilidade é outra (que eu acho que nem existe). Tenho a política de dar liberdade às meninas e monitorar a maturidade delas mas nunca elas estiveram longe do meu alcance. Algumas vezes a Helena já dormiu nas casas dos amiguinhos ou na escola. No entanto, caso algum problema ocorresse, ela estava a, no máximo, quinze minutos de distância.

Agora, a coisa mudou. Ela vai passar o final de semana na casa da avó paterna sozinha. Eles devem vir buscá-la ainda hoje e o combinado é que a tragam de volta no domingo. Durante esse tempo vai ficar em Floripa.

Da hora que recebi a notícia, comecei a me sentir angustiada. Fico pensando na estrada e me convenço, ela também sempre viaja com a gente e o risco é o mesmo. às vezes nem pe um pensamento concreto, sabe? Só uma angústia, um medo de nem sei o que...

Mas, enfim, estou me dando uma bronca interna e mandando a cria... depois conto como foi!

quarta-feira, 14 de março de 2012

As cartas de Helena

Recentemente, numa das noites em que estamos lendo historinhas para Helena, numa passagem do Sítio do Pica-Pau Amarelo, o Príncipe Escamado sente saudades de Narizinho e resolve escrever uma carta para ela. Helena, mais que rapidamente, reuniu as ideias e veio correndo me dizer que estava com saudades dos amigos de Cuiabá e que queria mandar cartas para eles.

Como ainda não escreve, lá foi a mamãe. Peguei uma folha e ela começou a me ditar bem direitinho o que queria dizer. Escreveu três cartinhas: uma para o Lucas e a Laura, outra para a Bruna e outra para a Júlia e o Bruno.




Depois, fomos levar as lindas cartinhas ao correio para ela entender como funcionava o processo. Expliquei que ela ia entregar a carta ao moço do correio e que ele colocaria a carta num avião e que depois outro moço dos correios pegaria a carta lá em Cuiabá e levaria na casa deles.

Há dois dias atrás, recebemos uma resposta à cartinha da Laura e do Lucas. Ela dava pulos de alegria e, prontamente me disse que queria escrever outra resposta.

Mais uma vez me muni de papel e caneta e escutei o ditado de nossa pequena princesa. Claro que, às vezes preciso organizar um pouquinho as ideias mas, em geral, ela mesma diz tudo timtim por timtim.

Essa vou postar amanhã.






Acho muito legal essa nova brincadeira. Ela está adorando manter contato com os amiguinhos e eu estou adorando ver o brilho nos olhinhos dela ao receber as respostas.

Por hoje é só...



Porque mamãe é carioca

videoO lado gaúcho da família que me perdoe mas, as pequenas adoram a rádio Samba de Raiz da Net e todo sábado e domingo, a gente já acorda sambando. E não é que elas levam jeito?

quinta-feira, 8 de março de 2012

Visita do vovô e da vovó

Esse final de semana, nossas pequenas receberam visitas. Foram o Vovô Dècio, a Vovó Elenita, Tio Marcone e Tia Cláudia. Então, fomo fazer um passeio que rendeu fotos bem legais.
Vó aprendendo a slingar


Flora no canguru


Contação de história com a bruxa

Helena prestando MUITA atenção



Depois da vovó e chapeuzinho salvas, ela relaxou (hehehehe)


Mamãe... que colinho gostoso!

Tia Cláudia... eu quero ler a revista

Conversando





Ensinando cambalhotas


Corre vovô!

Com tio Marcone, é bagunça da certa




lanchinho




Espero que tenham gostado