Minhas três Princesas

Lilypie Kids Birthday tickersLilypie Second Birthday tickers

Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Mudanças climáticas, mudanças nos cabelos


Olá pessoal

Hoje é dia de Beleza da Mamãe, vou falar de um probleminha que tenho tentado resolver desde que me mudei para o sul. Meus cabelos. 

A mesma coisa aconteceu quando me mudei para Cuiabá. O clima super seco de lá acabou com meus cabelos e minha pele no começo. Então, tinha que fazer banhos de creme pelo menos duas vezes na semana  e passar hidratante e óleo na pele.

Bom... seguindo essa rotina, meu cabelo estava ficando óleo puro. Então, esta semana acabaram meu condicionador e banho de creme e fui a uma loja de cosméticos aqui em Floripa, a Tay Cosméticos. Lá, procurei as marcas que não testam em animais e falei com a vendedora. Ela me indicou o banho de creme da Bio Extratus que não leva óleo. E também de um Cristal Líquido deles também. E achei o condicionador da linha para cabelos mistos da Ecologie.

Chegando em casa, na hora do banho já testei o creme de hidratação para cabelos cacheados.
Gente, é muito bom... já na hora de passar a gente sente a textura diferente. Massageei e esperei os dez minutos e tirei. Então, senti outra diferença. Sabe aquela dificuldade que a gente tem de tirar os cremes? Com esse isso não acontece. Como não é oleoso, foi facílimo tirar o creme e o cabelo não ficou oleoso.


Depois do banho, passei o cristal líquido que já na mão parece formar uma película protetora. No primeiro dia, meu cachos não formaram... parecia que tava relaxado, sabe? Super macio mas, sem cachinhos. Mas, no segundo dia, também testei o condicionador Ecologie. Que é MUITO bom também. E passei um pouquinho mais do cristal líquido. E o resultado foi um cabelo super macio e com muitos cachos. E o melhor de tudo? Sem oleosidade!

Ufa! Acho que consegui resolver esse probleminha. Os produtos são um pouco mais caros que os que eu usava antes. Mas, já deu para perceber que vou gostar e que vai valer à pena.

Afinal, nós mamães somos capazes de gastar 400,00 reais em um brinquedo mas não queremos gastar uns 20,00 num shampoo que provavelmente dura uns dois meses porque achamos caro demais para gastar conosco. Mas, quem trabalha para a família como a gente trabalha, também merece ser feliz e se sentir bem e bonita, né? Eu ainda me sinto culpada quando faço essas coisas. Mas faço mesmo assim porque tenho esperança de que a culpa vá embora. Sou algum ET?

Beijos

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Bosque do Papa

Classificação:

Localização: R. Vieira dos Santos, 2-90 - Centro Cívico

Dicas:
Essa localização é a entrada pelo Museu do Oscar Niemeyer. Lá tem um estacionamento com segurança. Deixamos o carro lá e fizemos uma pequena trilha em meio à mata até chegar nas casinhas polonesas. Mas a trilha é super tranquila, tanto que passamos com o carrinho de gêmeos.
Levar protetor solar e repelente.

Custo:
Mais uma vez o passeio é gratuito. Há no bosque uma lojinha de artigos típicos poloneses e souvenires. Lá você também encontra doces típicos, salgadinhos industrializados, refrigerantes e água. Então, o custo é o que você comprar ou levar para o lanchinho.

Atração:
No outro dia fomos até lá para conhecer. Uma delícia de passeio. Primeiro, a Mata Atlântica da reserva promove um clima agradável e úmido. Depois de uns minutinhos chegamos a um conjunto de casinhas de colonos poloneses que foram transportadas para o parque no intuito de preservar a memória dos imigrantes poloneses.

Na primeira casinha, como era época de Natal, nos deparamos com um lindo e rústico presépio (ou como diz a Helena, projepo). 


Casa polonesa com presépio


Depois há uma pracinha com diversas casinhas. Cada uma com uma utilidade.

Uma tem os móveis utilizados pelos imigrantes da época.



Outras têm exposições mas que não podem ser fotografadas. 



Depois, estendemos nossa tradicional manta de piquenique e deixamos a molecada explorar. Levei uns balões para as naniquinhas se distraírem. 

Florinha deu uma slingada.

Há também um parquinho muito bem conservado e com areia bem limpinha (já que a entrada de animais é proibida no parque por causa dos animais silvestres).




Iris e Flora também deram umas voltinhas no parquinho.

Claro, que com depois dessa folia toda, precisamos fazer um lanchinho. Então, hora de tirar as frutinhas, suquinhos e bolachinhas integrais da sacola.

Mais bagunça no parquinho





E acabou a bateria da molecada antes mesmo de entrar no carro!

Espero que gostem!!!


sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Kit de Sobrevivência


Oi pessoal

Já que essa é a primeira postagem sobre beleza das mamães, resolvi falar da dificuldade que tenho em sair de casa pronta.

Imagine arrumar as três pequenas. Eu arrumo uma, coloco para brincar. Pego outra, arrumo, coloco para brincar. Por fim, chamo a Helena para se arrumar (ou terminar, porque ela já sabe se arrumar sozinha).  Depois disso, as três estão brincando e correndo pela casa, possivelmente se sujando antes mesmo de sair, pegando as coisas e andando atrás de mim. O que significa que eu tenho que ficar olhando para baixo a cada passo para não machucar ninguém.

Para sair arrumadinha de casa, então, ou eu me arrumo antes das pequenas, ou tenho que improvisar. Para esses improvisos eu tenho em minha bolsa um kit de sobrevivência.

Trata-se de uma bolsinha com itens que podem me ajudar quando chego em algum lugar, me olho no espelho e quase caio para trás. Do que ele é composto?


  • 1 hidratante labial (para quando sinto o lábio querendo rachar)
  • 1 gloss cor de boca (para o dia-a-dia)
  • 1 gloss vermelho (quando a ocasião pede ou permite mais)
  • 1 base daquelas que já é corretivo (ou como eu gosto de chamar, reboco)
  • 1 rímel
  • 1 blush
  • 1 pincel para blush
  • 1 hidratante para mãos (que eu também uso nos braços quando esqueço de passar hidratante)
  • 1 par de brincos (porque sempre esqueço de colocar um - eita memória boa)


Como eu faço? Me ajeito até quando estou abastecendo o carro. Os frentistas ficam olhando mas, o que interessa é que saio mais ajeitadinha, né? Afinal, com a molecada afivelada nas cadeirinhas é mais fácil. Eu só tenho que ficar respondendo as perguntinhas da Helena:
-Mamãe, o que você tá passando?
-Maquiagem, filha
-Eu posso passar também?
-Não, amor... você não tem idade para isso
-Por que?
-Porque é para adultos.
-E o que você tá passando no olho?
-Rímel, filha
-Posso passar?
-Não, filha... isso também é para adultos
-E o que você tá passando agora?
-Blush
...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Bosque Alemão

Olá pessoal!

Hoje vamos fazer o primeiro post da coluna que fala de passeios em Curitiba com a criançada. Primeiro, o passeio encantador que fizemos no Bosque Alemão.

Classificação


Localização
R. Niccolo Paganini, 421-539 - Pilarzinho
Curitiba - PR, 80820-180

Dicas
1. Embora esse seja o início do passeio, há muitas escadas. Então, se você tem crianças de colo e costuma usar canguru ou sling, é bom levá-lo porque vai facilitar sua vida. E, se você planeja fazer um lanchinho ao ar livre no final da trilha, eu aconselho a deixar o carro nesta localização:  Curitiba - PR, 80820-200. Desta forma, você pode fazer a trilha sem carregar muita coisa e ter tudo à mão quando chegar a hora de relaxar.
2. Levar repelente. Embora eu não tenha tido problemas com insetos de manhã, acredito que à tarde eles ataquem pois o ambiente é bem propício.
3. Levar protetor solar e/ou bonés. Isso é mais para a brincadeira no final da trilha, onde o ambiente é mais aberto. Na trilha em si, o sol não chega a ser problema.
Custo
O passeio não é cobrado. No início da trilha há uma casa de chá com uma atendente muito simpática. Ou seja, o custo é o do combustível, o lanche que você levar e lá você pode comprar bebidas geladinhas.

Atração
O passeio é incrivelmente agradável. Depois de descer a escadaria no início da trilha, estações com uma adaptação do contos dos irmãos Grimm, João e Maria.

A trilha é fácil de ser seguida até por crianças pequenas e o sol não é problema, já que o bosque é bem fechado. Isso faz a paisagem ficar linda.

A adaptação da história é pintada em azulejos na forma de versinhos e Helena ficou encantada, sempre perguntando o que ia acontecer depois.


No meio da trilha, tem a casa da bruxa! Helena ficou super apreensiva mas eu falei para ela que a bruxa não morava mais lá e ela acalmou (fofura, né?).
Agora, a casinha é um sonho e é uma biblioteca infantil toda charmosinha. Dá uma olhada:
Nós com a galerinha pendurada

O caldeirão da Bruxa, cheio de mamadeiras

Olha que gracinha esse baú!
Continuando a trilha, passamos por uma pontezinha e um lago e continuamos lendo os versinhos da história.

Flora apontando os peixinhos

Lago, ponte e casinha da Bruxa

Final da trilha

Ao final da trilha, há um delicioso e arborizado gramado para fazer um piquenique muito gostoso com a criançada. É aqui que eu sugiro que deixem o carro com as coias e subam a pé pela rua, contornando o parque para iniciar o passeio.

As Três Princesinhas comendo bisnaguinhas

Helena fez uma amiga

Iris e Flora comendo mais

Papai e mamãe relaxando

E Iris arrumou um pretendente enquanto o papai se distraiu
O final da manhã, enfiamos todo mundo no carro e passamos no Subway onde demos papinha para as nanicas e comemos sanduíches. Não preciso dizer que o resultado, como geralmente acontece em nossos passeios, foi um banco traseiro repleto de princesinhas dorminhocas.


Bem, gente... se resolverem ir até lá, depois contem aqui sua experiência. E, se tiverem sugestões de passeios, podem mandar!

Beijos

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Mudando os móveis de lugar

Oi gente

Quem já deu uma passadinha no meu blog pessoal, já percebeu que eu ando animada com o final do ano e resolvi mudar algumas coisas.

E por que não, mudar os móveis de lugar por aqui? Já teve o post do papai, né? Vocês gostaram? Pois vem mais novidades por aí também.




2ª feira: Post do papai
Todas as semana vão começar com a opinião do papai sobre a vida com filhotes







4ª feira: Descobrindo Curitiba com Crianças
Como acabamos de chegar à cidade, estamos passeando muito e criando roteiros que nós e as filhotas estamos adorando. Resolvi então padronizar as dicas e postar todas as semanas aqui. Olha... estamos aceitando sugestões, viu?






6ª feira: Dicas de Beleza Rápida para Mamães
Como quem tem filhos sabe que nem sempre é fácil se manter bonita, né? Então, vou compartilhar aqui minha dificuldade em conciliar a vaidade feminina e a maternidade e as dicas que eu achar que funcionam bem para ajudar a gente e ficar bonita bem rapidinho, tá?






Espero que gostem do novo formato... Amanhã tem um post sobre o passeio lindo que fizemos ao Bosque Alemão. As fotos ficaram absolutamente LINDAS!!!! Aguardem....

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Primeira vez do papai aqui


Olá pessoal.

Sou o papai dessas três naniquinhas e vou, neste espaço, falar um pouco da minha percepção do lado masculino da “profissão” de pai, ao narrar fatos ou compartilhar aprendizados obtidos a partir das minhas experiências com as três, para pais em geral, mas principalmente para aqueles que, como eu, pretendem participar mais ativamente da criação de seus nanicos, e que estão aprendendo a vencer os desafios envolvidos na formação do caráter de seus anõezinhos, mas que também vem descobrindo que as pequenas alegrias e a satisfação pessoal que os filhos nos trazem são muito, mas muito maiores mesmo, do que as famosas preocupações e dores de cabeça que nossos pais sempre nos falaram.

E acho que um ponto interessante para começar é justamente esse. Por que todo mundo sempre nos fala das dificuldades envolvidas na criação dos filhos, mas ninguém nunca nos conta (pelo menos para mim nunca falaram) sobre como é gratificante ser papai. Parece até que querem guardar esse prazer em segredo para si mesmos. Por que será que nunca nos contaram (aos homens) como é lindo e reconfortante o som da gargalhada de um bebê, ou como é gostoso o cheiro de seus cangotes (as meninas sabem disso desde cedo). Ou que a sua simples presença, com seu sorrizão sincero e espontâneo - simplesmente por que o papai chegou em casa - é suficiente para eliminar o estresse e fazer esquecer mesmo o mais infernal dos dias de trabalho. Bom, pelo menos esta é a minha experiência. Calma aí, gente, ninguém também etstá falando que ser pai seja fácil, antes pelo contrário. Dá um serviço danado, e exige um grau “dalailâmico” de paciência e comprometimento. Mas que as recompensas compensam, e muito, isso também é verdade.

E assim, chego a outro ponto. Talvez nossos pais nunca tenham nos falado disso, simplesmente por que não viveram esta experiência. O papel do pai dentro da família encontra-se em evolução, e certamente hoje esperam-se de um pai posicionamentos e atitudes diversas do que se esperava no passado. Sou de uma geração em que os papéis masculino e feminino dentro da família eram muito bem definidos por convenções sociais pré-estabelecidas e raramente questionadas. A lida diária, o cuidado e a educação dos filhos eram, inquestionavelmente, responsabilidade da mulher, inseridos dentro de uma gama mais ampla de atividades domésticas necessárias à organização da casa, as quais eram aceitas como essencialmente femininas. O papel masculino era muito mais de provedor financeiro, o responsável por “não deixar faltar nada em casa”. Se esta obrigação fosse cumprida, o pai, que afinal de contas trabalhava o dia todo, ao chegar em casa deveria ser tratado até com certa reverência, sendo deixado em paz para descansar das atividades relacionadas ao seu trabalho, consideradas certamente muito mais exaustivas e importantes que as tarefas do lar. Assim, o contato do pai com os filhos era sempre muito mais distante, severo e frio. Sei inclusive de casos de alguns amigos que me relataram que o papel de seus pais em sua criação limitou-se, na infância, a administrar a disciplina, e depois, no final da adolescência, a ensinar as famosas coisas da vida, o que resumia-se a iniciar o moleque na casa de reputação duvidosa mais próxima. Em ser tratando de meninas então, o contato era quase nulo.

Não estou aqui querendo discutir este modelo de família (embora não concorde com ele), mas apenas colocando que hoje este modelo está sendo gradualmente revisto, e discutindo as consequencias disto. Afinal, agora as mamães também trabalham fora, e, portanto, a divisão das tarefas domésticas necessariamente acaba tendo que ser revista. Assim, cada vez mais vemos papais trocando fraldas, dando banho, amamentando (com mamadeiras, né, dããã), acordando (putos) de madrugada e, consequentemente, descobrindo perplexamente que isso é o MÁXIMO. É uma maneira de passar um tempo maior com seus filhos, e aproveitar tudo de bom que eles tem para oferecer. No meu caso, por exemplo, a hora em que dou banho nas nanicas é sensacional, fazemos uma zona no banheiro, é realmente muito divertido. E já consigo perceber, pelo comportamento das mesmas em comparação com outras crianças que conhecemos e que são criadas no modelo “tradicional”, que esse contato para elas também é muito importante, e que, aliada a outras coisas, obviamente, a maior presença paterna tem contribuído para que elas se desenvolvam com um grau maior de segurança, independência e auto-estima, o que acaba se refletindo em um comportamento mais calmo e temperamento mais maleável. Tanto assim que ouvimos o tempo todo como temos sorte de termos meninas tão calminhas, que elas são muito “educadinhas”, e sinto orgulho em saber que, ao menos em parte, venho bem desempenhando meu papel para contribuir para que isso seja assim.

Outra coisa importante, senão a mais importante nisso, é o fato de que, se você participar mais, a mamãe vai consequentemente ter menos coisas pra fazer, e portanto, ter mais tempo pra si mesma, sentir-se menos cansada e mais feliz. E como mamães mais descansadas e felizes são esposas mais descansadas e felizes e mulheres mais descansadas e felizes (leia-se receptivas), preciso desenhar onde isso acaba? Ou seja, meu caro, você acaba sendo um papai mais “cansado porém feliz” muito mais vezes.

Por isso, meus caros amigos, deixo a todos (desde o Maguila até o David Beckham) a mensagem para que tentem participar mais ativamente da rotina de seus filhos. Trocar fralda não faz cair a mão, e dar um banho não desbota. E o resultado compensa o cheirinho e a umidade em 300%.

Abraços

Marlon

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Posso comer uma frutinha?


Helena tem um novo pedido preferido. "Mamãe, posso comer uma frutinha?". É assim que ela sempre me pede quando chega em casa da escola ou de um passeio.

Às vezes, a mamãe general aqui tem que negar. "Amor, agora está na hora do jantar." "Então, depois que do jantar, se eu papá tudinho, eu posso comer uma frutinha?"

"Claro que pode, amor!"

Como vai dizer que não? Ela normalmente gosta muito de bananas. Mas atualmente, a escolha preferida é a maçã. E tem que ser inteira e sem o cabinho...

Não dá para falar o orgulho que dá ver a princesa pedindo uma maçã como se fosse uma barra de chocolate!

Flora andou!!!!!



Esse final de semana a Flora deixou de ser preguiçosa e resolveu andar também. E parece que tomou gosto pela coisa. Em poucos dias já está toda animadinha andando por aí.

Ontem descemos para brincar de desenhar e depois elas quiseram explorar o pátio. E aí, finalmente consegui filmar a proeza da safadinha (que sempre sentava quando via a câmera ou celular).
Todo mundo desenhando



E aí vão outras fotinhos da tarde de ontem...


E hpje de manhã, todo mundo pendurado no papai

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Fotinhos

Hoje vim postar umas fotinhos dos últimos dias. Temos passeado bastante e tem sido muito gostoso. No álbum aí de baixo tem umas fotos de passeio no Jardim Botânico, das brincadeiras no Playground do prédio, da Show de Natal do HSBC e, por fim, da feira do Largo da Ordem.

dez11

domingo, 4 de dezembro de 2011

Lembranças da minha infância


Esta semana comecei a realizar um sonho.

Quando eu era criança, minha avó tinha a coleção infantil do Manteiro Lobato e sempre lia para nós quando íamos à casa dela. Depois, quando aprendi a ler, eu mesma pegava os volumes da coleção e lia durante horas.

Infelizmente, mesmo minhas duas avós tendo a coleção completa, hoje eu não tenho nenhuma das duas pois ao longo dos anos elas foram doadas. Essa semana, passeando pelo centro de Curitiba, deparei-me com um sebo enorme e não resisti. Entrei e fui procurar a sessão do Monteiro Lobato.

Achei um livro da coleção que eu tinha: Viagem ao Céu e o Saci. E de outra coleção, achei essa versão aí da foto de Reinações de Narizinho.

Helena ficou toda animada com os livros "novos" e há três dias, leio esse tesouro para ela. E de hoje em diante, sempre que achar um sebo, vou entrar e procurar os livros até que consiga montar a coleção de novo.

Foi emocionante pegar o exemplar que era da coleção que eu li e ver as ilustrações que fizeram parte da minha infância, quando a vó Vera dizia que eu era Narizinho e o Rodrigo o Pedrinho....



sábado, 3 de dezembro de 2011

Alguém me empresta uma vaca?

É oficial, nã tem mais leite na minha geladeira!

Published with Blogger-droid v2.0.1

Depois que as meninas atingiram a curva normal de crescimento, passei elas, para o leite longa-vida, como a Helena. Um dos motivos foi economia, é claro! O outro foi o fato do leite Ninho ser adoçado e eu querer que elas acostumem com o leite puro.

Qual o resultado? Em todas as três mamadas do dia, quando se abre uma caixa de leite, ela acaba quando eu termino de encher os três copinhos. Isso mesmo! 1L por mamada, ou seja 3L por dia, 21L por semana e inacreditáveis 90L de leite integral só para as pequenas. Fora o que eu uso na comida ou tomo.

Alguém tem uma vaquinha pra emprestar?

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Iris andou pela primeira vez

Bom dia!!!!!

Estamos muito felizes hoje. Ontem à tarde, na hora do banho estávamos como sempre fazendo nossa linha de produção onde o Marlon dá banho nas pequenas e eu vou tirando, secando e vestindo elas. Então, quando vi, a Iris estava em pé na porta do banheiro olhando para mim. Então comecei a chamar e ela tomou coragem e deu uns 3 passos antes de sentar.

Corri, peguei o celular no criado mudo e me afastei. Quando chamei, ela veio!!!! E o vídeo da primeira caminhada da Iris!!!!