Minhas três Princesas

Lilypie Kids Birthday tickersLilypie Second Birthday tickers

Pesquisar este blog

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Blogagem coletiva - Maternidade Real

O Direito de Surtar

Oi gente.. hoje eu vim aqui para falar de um direito que deveria ser garantido a nós mães, na Constituição:

"Toda mãe de criança pequena tem direito a surto nervoso, pelo menos uma vez por semestre, sem qualquer tipo de ônus, represália, olhares tortos ou julgamentos"

Fala sério! A gente carrega as crianças no ventre por 9 meses (às vezes um pouco menos), pári, fica toda torta uns dias, amamenta, fica com o peito machucado morrendo de dor, carrega a criança para tudo que é lado e fica com dor nas costas, acorda a noite toda nos primeiros meses e fica feito zumbi. Ainda tem que dar conta da casa, do marido e todo o resto.

Aí vai a história do meu surto

Há 4 anos, nos mudamos para Cuiabá por causa do trabalho do Marlon. Vim animadíssima! Se a gente gostar faz a vida por lá mesmo... Bom, o clima é péssimo, o trânsito caótico, o povo toca fogo em tudo, não tem nada por perto, os serviços sofríveis e a educação marcou de vir só em 2014 (quando vai ter a copa aqui). Mas a gente ia levando e já até me acostumei (não o suficiente para desistir de mudar).
Então tive a Helena e coloquei na escolinha com 1 aninho porque minha empregada estava me roubando e tive que demitir.

De lá para cá... empregadas vêm e vão a ninguém pára. "meu marido não quer que eu trabalhe mais" "mas eu tenho que pegar ônibus pra vir aqui" "não posso ficar depois das 14:00" "Fico muito cansada", etc

Então, grávida da Iris e da Flora, fiquei de repouso. Como não achava ninguém para ajudar, trouxe a irmãzinha do Marlon para ficar comigo (o rolo é grande e ela tinha saído de casa com 17 anos). Fiquei de cama 3 meses, sendo que no último eu não podia nem ir para meu quarto (2o piso). Quando nasceram, as prematuras ficaram na UTI 15 dias e eu indo tirar leite, amamentar, correndo em casa para ver Helena que chorava sem parar.

Quando cheguei em casa, Bruna (a irmãzinha) tava com rotavírus. Me tranquei com as meninas no quarto até passar.

Quando elas tinham 2 meses, Bruna pegou catapora e passou para as 3! E eu tinha aceitado um emprego temporário de 20 dias. Eram toneladas de remédios. Iris pegou uma infecção secundária e chegou a ficar com os dedinhos roxos. Quando a catapora estava acabando, veio outra bomba... Bruna estava grávida do namorado! E com descolamento de placenta, de repouso.

Resultado: eu, sem empregada, com três filhas doentes e a ajudante de repouso.

Calma! Ainda não surtei.... ficava me lembrando que tinha 3 filhas para cuidar.

Depois disso, Iris teve que ser operada do hemangioma.... Depois, acabaram os problemas de saúde, mas não o meu cansaço.

Segui procurando ajuda sem encontrar e o cansaço em crescente. Há cerca de um mês passei uma semana procurando empregadas/diaristas. No dia em que a 5a marcou e não apareceu, começou meu surto...

Eu gritava: Eu quero sair de Cuiabá, Eu quero sair de Cuiabá, Eu quero sair de Cuiabá!!!!!!!!!!!!!!!!! E o Marlon "Rê, não adianta surtar"

O QUÊ?????? ADIANTA SIM!!!!!!!!!!!!!!!!!! EU PRECISO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! TODO MUNDO FICA DOENTE, TODO MUNDO CHORA, TODO MUNDO GRITA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

EU TAMBÉM QUERO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Me fechei na cozinha e comecei a abrir e bater as portas dos armários, dando gritos para acompanhar.

Depois de uns 10 minutos, me recompus, e voltei a ser mãe, calma e tranquila.... mas quero meu direito a surto garantido.... todo mundo precisa, até as mamães....

Meu único cuidado é que Helena esteja longe para não se assustar com o MONSTRO!

6 comentários:

Juliana disse...

Adorei, Rê!!!
Já tive meus dias de loucura...gritei, esperneei, chorei horrores e implorei também pra ir embora daqui..lugaar que eu nao me acostumo nunca- Manaus.

Mas..depois a gente sobe de novo no salto e começa tudo outra vez, normalmente...somos mãe! =)

Beijoca
Ju e CLara

piscardeolhos disse...

porque raios será que mulher adora bater porta (de casa, do armário...)
eu também uso esse recurso de sonoplastia di-re-to.
direito de surtar concebido.
beijo!

Renata disse...

Pois é Jú...

Aliás, vivemos mais ou menos as mesmas situações, né? Agora ando mais serena, mas cansada... sei que é temporário. Logo as gêmeas estão do tamanho da Helena e tudo fica mais fácil.

Um beijo

Chris Ferreira disse...

Oi Renata,
perdi a blogagem coletiva porque fiquei uns dias desconectada. Estou hoje me atualizando de tudo. Adorei o seu post. Eu também quero o meu direito a surto garantido. Nós merecemos, nós precisamos. kkkk
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Marcele Gouvea disse...

Renata, minha amiga...

Por uns momentos eu ri, mas não posso esconder minhas lembranças... FIZ TUDO ISSO, SEM MAIS NEM MENOS! TUDO IGUAL! Com uma diferença: Beni não está na escola! SURTO TOTAL! Pra melhorar, aquela minha empregada ( a Star) lembra? Não vem mais! A última quer saber? Disse que eu poderia contratar alguém pra vir passar roupa e saiu às 16h e ainda passou meu hidratante da Victoria Secrets... Chique não?! Às vezes me pego rindo sozinha e logo vem um ataque de riso e depois choro... tô surtando tb! Mas vamos tentar manter o controle... falei TENTAR, pois não é garantido! hahaha... bjs

Renata disse...

Ai Cele

Logo vi que aquilo não estava bem parado... A audácia delas é que mata. A última daqui trocava meus móveis de lugar e dizia que assim tava bem melhor. Virou minha cama de jeito que a cômoda não abria, escondeu os copos para não sujar (só deixou 3), etc...